terça-feira, 1 de dezembro de 2015

o amor faz doer

Tenho saudades das borboletas. Mas daquelas que nos fazem sempre sorrir. Do fazer disparates por amor. Do rir sem sentido. Saudades que me chamem nomes lamechas. De fazer quilómetros por um único beijo. De dormir poucas horas pois não houve tempo para mais. E mesmo assim acordar com um sorriso. Do fazer tudo pelo outro e aceitar que tudo façam por nós. Saudades de quem me espera ao fim do dia. Saudades.
Tenho saudades que corram para me vir buscar. Que anseiem por que um dia acabe porque querem o meu abraço. Que me telefonem só porque apetece ouvir a minha voz. De acordar com um bom-dia e adormecer com um boa-noite.
Tenho saudades de que gostar de alguém não seja doloroso. Que amar não seja uma tragédia. Saudades de que o amor não seja só isto.
Saudades.

Rita Leston

saudades do que ja foste um dia pra mim, mas nao te deixarei em vão lutarei enquanto puder


1 comentário: