sábado, 29 de março de 2014

Eu sou de corar fácil....

Achei piada ao estudo porque eu ando sempre coradinha, e já meu avó era conhecido como o coradinho. quem sai aos seus.

Estudo: Pessoas que coram facilmente são mais de confiar


A próxima vez que corar depois de passar por algum tipo de situação embaraçosa, não tente esconder. Um estudo aponta que pessoas que sentem vergonha são vistas como mais confiáveis pelas pessoas ao seu redor.Investigadores conduziram uma série de experiências que usavam vídeos, jogos de confiança e pesquisas para verificar a relação entre o constrangimento e bons relacionamentos sociais.

Gravaram o testemunho de 60 estudantes com estes a contarem algum momento embaraçoso da sua vida, como confundir uma mulher com excesso de peso com uma grávida. Cada vídeo foi classificado de acordo com o nível de constrangimento que o sujeito mostrou ao contar para a câmara. Os cientistas identificaram que o gesto típico de quem estava com vergonha era olhar para baixo enquanto cobria o rosto.
Os estudantes também foram submetidos a um jogo em que tinham que dividir bilhetes com os parceiros. Os investigadores observaram que os mais generosos eram os que tinham demonstrado mais constrangimento ao contar a sua história embaraçosa.
«Níveis moderados de vergonha é um sinal de virtude», afirma Matthew Feinberg, líder do estudo e doutor de Psicologia da Universidade de Berkeley, na Califórnia.
«Constrangimento é uma assinatura emocional da pessoa e promove confiança na vida quotidiana», afirma outro cientista envolvido na pesquisa, Robb Willer, um psicólogo social da Universidade de Berkeley.
As pessoas envergonhadas são vistas como mais confiáveis e, portanto, mais susceptíveis de serem melhores amigos, e até mesmo melhores parceiros românticos. Indivíduos que são facilmente constrangidos relataram níveis mais elevados de monogamia, segundo o estudo.
Feinberg acredita que isso acontece, pois as pessoas querem aproximar-se mais de pessoas que podem confiar e sentem-se confortáveis com isso.

Sem comentários:

Enviar um comentário