segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Cada Dia...

pacotinho de açúcar 13

Cada dia que passa não e o que se espera. Um cigarro abandonado nos dedos amarelados, o café fumegante, um rosto inerte, inexpressivo. Uma esplanada. A multidão que espera chegar a tempo, correndo ventoso pelas artérias entupidas da cidade cinzenta, sentado espero mas não alcanço: o que espera esta gente? Mais um dia passa. Igual a tantos outros.

António Pedro S. G. Castro (vencedor passatempo Sical)




Sem comentários:

Enviar um comentário