domingo, 26 de janeiro de 2014

Triste do amor... sem o fogo da paixão



Triste é quem no amor se esquece da paixão. Triste é se o amor não tiver também momentos de urgência. Triste é quem não sai da rotina. Triste é quem, mesmo amando profundamente, se esquece de olhar o outro com o fogo de outros tempos. 

Que haja sempre amor: muito!
Mas que haja imensa paixão que nunca deixe que esse amor adormeça. E entorpeça. Ou se esqueça.

Sei - e muito bem - o que é amar. Na calma e na tempestade. Na ausência e na presença. Nos dias "sim" e nos dias "não. Quando se sorri e quando só apetece chorar. Quando calada e quando não paro de falar.

E sei o que é amor polvilhado de paixão.
E é esse o meu pedido, meu amor: que nunca te esqueças do que é a paixão

Rita Leston

Sem comentários:

Enviar um comentário